Na tarde de ontem (26/06), foi realizada no Hospital Arnaldo Gavazza a captação de vários órgãos para transplantes. A equipe do HAG foi responsável pela captação das córneas e a equipe do MG Transplantes foi responsável pela captação dos órgãos. O procedimento todo durou cerca de três horas e duas aeronaves do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais realizaram o transporte dos órgãos até Belo Horizonte.

Cada órgão tem um tempo de isquemia, que é o período de retirada e transplante deste órgão em outra pessoa. O tempo de isquemia do coração é de quatro horas e, pelo fato de o tempo ser menor, foi realizado primeiro e enviado para Belo Horizonte antes. Os outros órgãos, como pâncreas, fígado, rins e córneas, por terem um período maior, foram realizados em seguida.

O HAG se solidariza com a família, que em um momento de dor, deixou a empatia falar mais alto e autorizou a doação dos órgãos que poderão salvar muitas vidas.

A destinação dos órgãos depende do resultado do exame de compatibilidade dos pacientes da fila de espera. É importante ressaltar que é necessário conversar com a família sobre a doação e que o doador pode ter até 80 anos de idade. Depois de constatada a morte do paciente, são feitos vários exames para verificar a possibilidade de doação e a família decide se autoriza ou não.

No Hospital Arnaldo Gavazza existe uma Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) que desenvolve atividades e busca a conformidade dos processos internos de acordo com as legislações vigentes e normas do hospital.

Simpósio

No dia 31/05, foi realizado o III Simpósio de CIHDOTT’s de Minas Gerais – OPO Metropolitana, em Belo Horizonte, no Hospital João XXIII – FHEMIG. No encontro, a comissão do HAG foi representada pelas enfermeiras enucleadoras Gircilene Caetana e Geovana Teixeira, pelo assistente social e vice-coordenador Ivo Jonathan, e pela psicóloga e subsecretária Gabriela Sollar. O evento teve como intuito articular e trocar experiências entre as comissões, assim como aprofundar na compreensão dos processos de captação e transplante. De acordo com os participantes, o simpósio foi vantajoso, uma vez que facilitará a compreensão do fluxo de doação de órgãos, protocolos e condutas a serem realizadas, além da atualização a respeito dos processos.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *